Rebeca

Rebeca.

Hoje vamos conhecer um pouco mais de Rebeca (donzela cuja beleza prende os homens), filha de Betuel, sobrinho de Abraão.

Quando Isaque tinha 37 anos, seu pai pediu para seu servo Eliézer, que buscasse uma noiva em sua terra natal, dentre sua parentela (Gênesis 24:2a8).

É lindo ver a confiança que Eliézer teve no Senhor, orou pedindo e obteve a resposta (Gênesis 24:12 a 14, leia esta passagem), encantado por sua beleza, encheu de presentes aquela que iria ser a esposa do filho de seu amo.

Depois que Rebeca fez exatamente aquilo que Eliézer tinha pedido como sinal, este pediu a mão  da jovem de modo tão enfático que ela e sua família aceitaram de imediato o casamento. Vamos considerar um pouco o sentimento de Rebeca, ela provavelmente já tinha ouvido que havia um parente distante (Gênesis 22:20 a 24), contudo quando perguntaram “ …queres ir com este homem?" Rebeca teve que tomar uma decisão que mudaria totalmente o rumo de sua vida, um passo de fé, apenas confiando, sem saber o que a esperava pela frente, respondendo firmemente:“ Sim irei”,(estamos dispostas em responder com tamanha prontidão?).

Podemos imaginar quantas perguntas ela fez ao servo durante a viagem sobre aquele que seria seu esposo, o encontro dos dois é um dos romances mais lindo da Bíblia (Gênesis 24:63 a 67.), o amor de Isaque e Rebeca era mútuo, desfrutando das bençãos do casamento.

Passaram 20 anos e ainda não tinham filhos, então Isaque orou por sua esposa (Gên.25:21), está concebeu, que alegria para ela quando soube pelo, o próprio Senhor que teria gêmeos (Gên.25:22 a 26).

Nas nossas vidas como pais, temos que ser cuidadosos quanto a lei do favoritismo (Gên.25:28), esta situação gerou um distanciamento entre Isaque e Rebeca, a ponto de Isaque cometer o mesmo erro de seu pai, dizendo para o rei dos filisteus que Rebeca era sua irmã (Gên.26:7a9), é necessário sermos meticulosos quanto aos hábitos sutis de engano (pequenas mentirinhas), essas coisas até parecem não ser tão ruim até que lembramos que os outros estão observando nossas atitudes.

Rebeca amava profundamente a Jacó a ponto de enganar e mentir para seu próprio esposo, não confiando naquilo que Deus tinha dito para ela sobre o seu caçula, lançou mão de artifícios para poder conseguir as bençãos que por direito de nascimento seria de seu filho mais velho Esaú, por este motivo ela nunca mais viu seu filho favorito.

Podemos perguntar o que aconteceu com Rebeca? Após um começo tão bonito, uma perfeita combinação de Deus, eles deveriam ter vividos felizes para sempre. Como vimos acima ela, esqueceu da soberania divina, no qual lhe dissera que seu filho mais novo seria servido pelo mais velho (como isso seria possível, jamais saberemos), e as consequências foram cruéis, inimizades entre os irmãos e a perda da confiança de seu esposo.

Atualmente agimos como Rebeca, nós ainda lutamos com unhas e dentes para fazermos com que nossas vontades e desejos sejam executadas da forma que queremos, mesmo quando se trata dos planos de Deus, tornando manipuladoras.

Amadas irmãs que lição, não devemos confiar em sentimentos quanto as decisões de nossas vidas, como disse Martinho Lutero:

Sentimentos vem e vão, os sentimentos podem enganar. Nossa segurança está na palavra de Deus, e nada mais vale a pena acreditar.”

Com amor

Você gostaria de ler sobre outro personagem bíblico, Sara - Sarai